Prova Oral

Prova Oral Em Simulados Individualizados

Passar na prova oral requer preparação específica. Tenho ouvido histórias de candidatos bem preparados que não conseguem ter êxito nessa fase. Estar na fase da prova oral não é garantia de aprovação. Por exemplo, no último concurso para Procurador do Trabalho – MPT, vários candidatos reprovaram, o mesmo aconteceu no concurso para o cargo de Procurador do Distrito Federal, Procurador de Goiás e Magistrado/TJPE/TJSP/TJAP/TJPA.

As provas estão cada vez mais difíceis e mais práticas. Por outro lado, também tenho testemunhado candidatos que iniciam seus treinos com um desempenho ruim, mas, no decorrer dos treinos ganham confiança e, ao final, estão inteiramente desenvoltos e confortáveis no contexto da prova oral e chegam a alcançar notas acima de 7,0.

Então, é indispensável treinar para a prova oral! A aprovação é decorrência de preparo, esforço, por isso quem passa não é o mais inteligente, passa o mais esforçado. Da mesma forma, o candidato não precisa ser um orador; não é uma voz impostada que faz o candidato passar.

A aprovação vem se o candidato conseguir demonstrar que possui o conhecimento e o raciocínio jurídico necessário para o exercício do cargo. Entretanto, obviamente, se você quiser ter algumas sessões com um fonoaudiólogo não há nenhum impedimento, já que a função deste profissional é aprimorar a qualidade da voz.

Outro aspecto muito importante é ter uma postura aberta, atenta e respeitosa em relação aos membros da banca na hora da prova, nada de responder com arrogância ou entrar em discussão com os examinadores. Na hora da prova, os membros da banca merecem toda a deferência e respeito. A única missão do candidato é formular a melhor resposta possível, considerando a linha de raciocínio do cargo almejado.

Aproveitando, um exercício muito útil é treinar responder perguntas de assuntos gerais (conceitos e princípios) a casos específicos e jurisprudência, gravar e ouvir para identificar a qualidade da resposta e os possíveis vícios da fala, de preferência com a participação de um profissional da área jurídica que tenha experiência em provas. É importante demonstrar conhecimento dos temas abordados, com clareza, em uma resposta bem estruturada.

Um outro aspecto requer atenção: diversos cargos passaram a inserir a fase da prova oral e/ou tribuna. Na linha de aprimoramento, não adianta treinar a forma de falar sem treinar como construir uma resposta que demonstre conhecimento jurídico. Da mesma forma, não adianta treinar somente com candidatos que estão na mesma dificuldade de preparação, sem experiência em provas, esse formato de treino pode não trazer um real aprimoramento, mas apenas uma ilusão de preparação.

Pensando nisso, o Decidi Passar estruturou treinos para a Prova Oral Em Simulados Individualizados, no formato que reproduz as condições da prova (mais informações no www.decidipassar.com.br). O nosso formato é o ideal porque auxilia o candidato a vislumbrar, a entender e a treinar na dinâmica de como funciona a prova, quanto à expressão e conteúdo. Sem dúvida, treinar ao vivo aumenta a confiança na hora da prova!

Ótimos estudos!

Profa. Neydja

PROVA ORAL
PROVA ORAL